Sobre os “nossos” problemas no curso

by

O nosso curso de medicina tem pontos positivos. E o nosso curso de medicina também tem problemas. Tal constatação é óbvia e todos nós, estudantes de medicina, nos colocamos de acordo. A nossa dúvida surge no que diz respeito exatamente aos problemas. A falta de cadáveres pros calouros estudarem; a falta de peças pra aulas verdadeiramente práticas de neuroanatomia; a falta de estrutura pra aulas práticas de fisiologia; falta de professores pra Imunologia; más condições das aulas práticas de Bases da Técnica Cirúrgcica, enfim. E o que fazer com isso tudo? Expor? Esconder? Temos dúvidas.

Como estamos dentro do contexto da universidade, fica mais difícil analisar. Vamos tentar começar analisando algum universo do qual estejamos do lado de fora. Já sei, o governo!

O nosso país tem pontos positivos. E o nosso país também tem problemas. Tal constatação é óbvia e todos nós, brasileiros, nos colocamos de acordo. E no que diz respeito aos problemas, conhecemos muitos deles. Desemprego; corrupção; falta de moradia; precarização do trabalho; fome; miséria; desgigualdade social. E o que a gente espera que os governantes façam com isso tudo? Que eles exponham? Que eles escondam? Bom, todo mundo sempre critica quando as mentiras ficam incobertas, quando os casos de corrupção ficam mascarados, quando os políticos tentam passar uma imagem boa de algo que está ruim, não é? Acho que todo mundo aqui desejaria que o governo fosse transparente e verdadeiro, não é mesmo? Principalmente pelo fato de que NÓS os elegemos, então os políticos devem governar para NÓS, e não para eles mesmos. Bom, então vamos tentar voltar pra universidade.

A gente tende a acreditar que estamos estudando na nossa universidade “de graça”. De fato é uma universidade pública. Mas de onde vem o dinheiro para construir os laboratórios, as salas de aula etc? Vem do povo, não é mesmo? O povo paga os impostos que nos mantem estudando. Nós só estamos numa universidade federal graças a esse povo que nos banca com o pagamento de diversas taxas. E o que devemos fazer? Esconder os problemas pra esse povo? Assim como os políticos escondem pros eleitores? Percebem como a analogia funciona? Será que devemos esconder qual a realidade do estudante que esse povo está pagando para ser formado? Esconder que tipo de profissional estará sendo formado pra esse povo? Mascarar a realidade, dizendo que o curso que o povo tá financiando é um curso perfeito, que atenderá a todas as demandas desse povo e que esse povo deve ter orgulho por estarmos perto do jubileu de ouro? E o que faremos quando nos formarmos? Seremos como os políticos que a gente critica e pensaremos apenas em nós, na valorização do noss currículo, na nossa futura resdiência? Ou minimamente retribuiremos ao povo fazendo com que a nossa formação seja voltada pra sociedade em que a gente vive?

Assim como os políticos estão num governo que deve servir aos eleitores, nós estudantes estamos numa universidade que deve servir ao povo. Então é nosso papel agir com transparência, buscando trabalhar com base na realidade objetiva, com verdades, e em cima de tudo isso buscar soluções, porque é isso o que essa sociedade, onde pessoas passam fome, não têm emprego, são vítimas da desigualdade social etc, espera de nós, futuros médicos.

Por isso as ações do coletivo “Seja Realista: Peça o Impossível” visam essa transparência. Porque acreditamos que apenas seguindo o caminho da verdade, buscando que todos os estudantes conheçam a realidade do curso, podemos alterar a realidade da nossa formação. E a História mostra que as grandes mudanças não vieram de reuniões internas e fechadas de departamentos, mas sim de grande mobilizações de movimentos organizados (tá aí o nosso HU, que foi fruto dessas mobilizações). E vamos além, essas mudanças não virão de um grupo vanguardista com uma parcela reduzida de estudantes, nem de briguinhas e ofensas pessoais entre os própios estudantes, mas sim da união de todos os estudantes em prol de um objetivo comum: melhorar a nossa formação.

Para se buscar a melhora de algo, é preciso primeiro perceber que algo está errado. Por isso acreditamos que a realidade objetiva deve ser sempre evidenciada.

Por uma formação de qualidade. Sempre!

Anúncios

3 Respostas to “Sobre os “nossos” problemas no curso”

  1. Ivo Andrade Says:

    Perfeita a analogia, muito bom o texto.
    Parabéns!

  2. José Carlos Says:

    Concordo que os problemas da UFS devem ser expostos. Colocar debaixo do tapete nunca resolveu nada!

    A exposição de nossa universidade a nível nacional, por mais dolorosa que seja, constrange os responsáveis por tamanho descaso e abre uma possibilidade para a correção do erro.

  3. Sou mais UFS Says:

    Na verdade vocês querem é se aparecer!! Já são queimados no curso, suponho que irão sem saber nada. Mas não é por culpa da Universidade de vocês não! É porque vocês não estão nem aí para o estudo e sim para a baderda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: