Uma grande perda: José Saramago

by

Do blog: http://www.culturaalternativa.blogspot.com

Retrato do desmoronar completo da sociedade causado pela cegueira que aos poucos assola o mundo, reduzindo-o ao obscurantismo de meros seres extasiados na busca incessante pelo poder. Crítica pura às facetas básicas da natureza humana encarada como uma crise epidêmica. Mais do que olhar, importa reparar no outro. Só dessa forma o homem se humaniza novamente. Caso contrário, continuará uma máquina insensível que observa passivamente o desabar de tudo à sua volta.” (José Saramago)

Perdemos mais um gênio da literatura. O português José Saramago desencarnou hoje, aos 87 anos.

Era ateu, comunista, sem papas na língua. Revolucionou a Arte e trancendeu a vida. Sua obra maior, o Ensaio sobre a Cegueira, é referência para uma juventude cada vez mais alienada e apegada a futilidades. O livro em si tocava no aspecto sócio-econômico e analisava os processos de mutação pelos quais a Europa estava passando na época, mas pode ser lido como uma ode ao senso crítico, que abre os olhos dos seres humanos. Os cegos eram, ou são, os conformistas. Rendeu até uma continuação, Ensaio sobre a Lucidez, onde continua com as refexões do anterior sob nova ótica. O autor era o mesmo, mas dava-se espaço para outros pontos de vista, como se quem escrevesse era outro.

Saramago, como todo escritor, tinha um jeito só seu de escrever, de modo que quem tentasse imitá-lo falharia. Era de leitura difícil, como é da natureza existencialista. Eu mesmo fui incapaz de decifrar muitas de suas opiniões. Descobri-o numa estante da biblioteca do colégio, quatro anos atrás. O título era Memorial do Convento, por coincidência aquele que o projetou e o fez ser admirado por público e crítica. Já a partir daí, foi um gosto ler aquele exemplar, exercício que me consumiu um longo tempo, é verdade, mas só foi útil para minha vida. Ampliei o conhecimento das coisas ao redor e das coisas mais profundas. Outra característica do mestre: conciliar objetivo e subjetivo, conotação e denotação, razão e emoção.

Saramago morreu já com idade avançada, e estava até hoje a nos fazer refletir. Hoje, literalmente. Seu falecimento data deste 18 de junho. É mais um que fará muita falta, deixando conosco seu legado.

(Texto escrito por Bruno Melo no endereço http://www.culturaalternativa.blogspot.com/2010/06/jose-saramago.html)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: